Domingo, 23 de Janeiro de 2022
21°

Alguma nebulosidade

Goiânia - GO

Cultura Goiás

Canto da Primavera termina com sucesso de público e valorização de artistas goianos

Realizada entre dias 30 de novembro e 05 de dezembro, mostra teve extensa programação de shows e oficinas, e seguiu todas medidas de segurança para conter avanço da pandemia de Covid-19. Iniciativa, com investimento de R$ 1,5 milhão e prêmios da ordem de

05/12/2021 às 20h30
Por: Admin AQG Fonte: Secom Goiás
Compartilhe:
Foto: Reprodução/Secom Goiás
Foto: Reprodução/Secom Goiás

O Canto da Primavera 2021, promovido pelo Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), em Pirenópolis, terminou neste domingo (05/12) com sucesso de público. Mais de 2.800 pessoas assistiram as 20 apresentações musicais, todas gratuitas, que aconteceram nos Palcos do Rosário (capacidade para 200 pessoas), Largo do Beiro Rio (680) e Cine Pireneus (150). Limitar a capacidade foi um dos critérios da organização para aumentar a segurança quanto à Covid-19. Ao todo, foram 20 horas de shows em seis dias e 335 envolvidos na realização, entre músicos, apoio, equipe técnica e produção.

O evento seguiu todas as medidas de segurança para conter avanço da pandemia de Covid-19. A iniciativa, do Governo de Goiás, contou com o apoio da Secretaria Especial da Cultura do Governo Federal e investimento total de R$ 1,5 milhão, sendo mais de meio milhão da gestão estadual. A Prefeitura do município foi parceira do evento. “Pirenópolis é o berço da cultura e da arte em Goiás, e o Canto da Primavera 2021 veio pra valorizar os nossos artistas”, disse o governador Ronaldo Caiado.

Se apresentam no festival os cantores Marcelo Barra, Maíra Lemos, Dante Ventura, Almir Pessoa, Projeto Palco com (Laércio Correntina, Celso Galvão, Gilberto Correia, Túlio Borgo, Wilson Gandhi, Moka Nascimento; Emídio Queiroz; Moisés Feitosa; Willian Cândido); Marcus Biancardini e Dejan Cosic convida (Christina Guedes, Fernanda Guedes e Ingrid Goldfeld).

Também, Henrique de Oliveira & Anderson Richards, Dona da Roda, Diego Stucchi, Gabriel Cabeça, Mc Murcego, Heaven’s Guardian e Orquestra Sinfônica, Chico Aafa; Isabella Rovo, Sabah Moraes, Fernando Boi, Camila Faustino, Adriel Vinícius, Boogarins, Orquestra de Violeiros e Orquestra Filarmônica de Goiás.

Os artistas goianos que se apresentaram nos três palcos do Canto da Primavera agradecerem a oportunidade de mostrar seus últimos trabalhos ao público.

“Pra gente é um prazer imenso tocar em mais uma edição do Canto da Primavera. A mostra é um fomento incrível para a cena goiana, tem que rolar mais vezes e ter cada vez mais artistas. É nosso primeiro show em Goiás depois da pandemia e para nós está sendo um presentão”, disse Dinho, vocalista do Boogarins.

“O Canto da Primavera é muito importante pra cidade de Pirenópolis, pro estado de Goiás e pros artistas da região”, reforça Ynaiã, baterista do grupo.

“Acho muito digna e valorosa a postura que o atual governo está tomando diante dos artistas, mantendo importantes conquistas para nossa cultura, como os editais de incentivo e também os festivais como Canto da Primavera e o Fica”, disse Almir Pessoa, que se apresentou no Palco do Largo Beira Rio.

Os prêmios variaram de R$ 10 mil a R$ 50 mil, somando R$ 520 mil. Para esta edição da mostra foram priorizados apenas artistas goianos, como forma de incentivar e valorizar a cultura local.

A última apresentação do Canto da Primavera 2021 foi da Orquestra Filarmônica de Goiás, neste domingo (05/12), com um concerto embalado por clássicos como Noites Goianas, Suite from Chicago, entre outras composições, sob a regência do maestro Neil Thomson. O espetáculo ocorreu no palco do Largo Beira Rio.

Oficinas

As quatro oficinas do Canto 2021 foram ministradas na Escola Estadual Comendador Joaquim Alves, por renomados mestres da música. Entre inscritos e ouvintes, foram mais de 40 alunos, de várias localidades, como Brasília, interior de Goiás e cidades do entorno, que puderam absorver conhecimentos em uma rica troca de experiências.

Foram ofertadas aulas de bateria, percussão, violão, guitarra e contrabaixo elétrico. As oficinas foram encerradas, com um show dos alunos, que puderam apresentar um pouco do conteúdo absorvido durante o curso.

“Estamos muito felizes de ver a alegria dos artistas goianos de estarem aqui tocando e reforçando esse recomeço. Alegria pelas mudanças que a cultura teve nos últimos anos, especialmente pelo empenho do governador Ronaldo Caiado, que colocou todas as dívidas em dia. Um governo que olha para frente e para o músico goiano. E esse é o primeiro de muitos Cantos da Primavera que a gente espera fazer com esta atual gestão”, disse o secretário de Estado de Cultura, César Moura.

Mais investimentos

O setor cultural ganha cada vez mais reforço do Governo de Goiás. O governador Ronaldo Caiado anunciou o pagamento de R$ 23,3 milhões de editais do Fundo de Arte e Cultura (FAC) de 2016, 2017 e 2018. A atual gestão já pagou mais de R$ 50 milhões, e quitou débitos de gestões anteriores.

Em Pirenópolis, com os recursos de R$ 1,5 milhão do Canto da Primavera 2021, a gestão atual soma quase R$ 4 milhões em investimos no setor cultural no município.

Foram R$ 237,8 mil nas Cavalhadas de 2019; R$ 537,5 mil do Canto da Primavera 2018; R$ 150 mil do repasse para as Cavalhadas deste ano; e pela Lei Aldir Blanc, cerca de 40 projetos aprovados receberam R$ 1,5 milhão de recursos para a cultura municipal.

Canto da gente

Criado no ano 2000, como mecanismo de valorização da criação musical, o Canto da Primavera firmou-se, ao longo dos anos, como acontecimento de relevância para o Estado de Goiás.

A Mostra Nacional de Música de Pirenópolis estimula o desenvolvimento artístico e cultural da comunidade local, cria entretenimento, aquece o turismo e movimenta a economia. Isso agregado ao conhecimento e a rica troca de experiência promovidos pelas oficinas de música.

Depois de uma pausa de dois anos, o Canto da Primavera pode voltar a ser realizado de forma presencial, seguindo todos os protocolos e medidas de segurança determinados pelas autoridades locais. A iniciativa representa um resgate do cenário cultural do Estado e da economia local.

Fonte: Secretaria de Estado de Cultura (Secult)