Domingo, 18 de Abril de 2021 00:01
62 99863-8531
Saúde & Bem Estar GOIÂNIA

Hospital cola ‘prontuário afetivo’ em quartos e pede objetos a parentes para acolher pacientes com Covid-19 em Goiânia

Com a ajuda de familiares, equipe identifica a pessoa pelo nome que ela gosta de ser chamada e descreve seus gostos e história. Em caso de extubação, a música preferida do paciente é tocada durante o procedimento.

02/04/2021 06h46
Por: Kamila Reis Fonte: G1
‘Prontuário afetivo’ de uma paciente internada com Covid-19 em Goiânia — Foto: Hospital do Rim/Divulgação
‘Prontuário afetivo’ de uma paciente internada com Covid-19 em Goiânia — Foto: Hospital do Rim/Divulgação

Um hospital particular criou um “Prontuário afetivo” para colar na porta de quartos de pessoas com Covid-19, em Goiânia. Com a ajuda de familiares, eles identificam o paciente pelo nome que ele gosta de ser chamado e descrevem seus gostos e história. Assim, a equipe passa a tratá-lo de forma personalizada e com ainda mais afeto. Até objetos de parentes são usados.

"Tenho um grande sonho de ser médica", escreveu uma paciente, que também gosta de conversar sobre música.

A supervisora da enfermagem da Unidade de Terapia Intensiva, Stephany Araújo Nogueira, afirma que se trata de humanizar o tratamento.

“Nós adotamos esse projeto como a premissa de que todo paciente é o amor de alguém. Ele tem uma história, tem gostos, afinidades e sentimentos. Durante o tratamento, ele vai ficar isolado, sozinho e, nesse momento, seremos a família dele”, disse a supervisora.

A diretora-executiva do Hospital do Rim, Lilian Costa, contou que a unidade sempre usou o prontuário, mas ampliou esse procedimento desde o início da pandemia. Ela informou ainda que a equipe pede objetos que façam com que o paciente se lembre de casa, como cremes e sabonetes.

“Teve o caso de uma paciente que a família levou o shampoo do esposo. A equipe usava durante os banhos nela. Quando a paciente teve alta, ela contou que sentia a presença do marido. Tudo ajuda bastante no processo de recuperação. Eles se sentem mais acolhidos”, disse a diretora.

Lilian revelou ainda que a equipe de médicos, enfermeiros e psicólogos colocam uma música ambiente da preferência do paciente no momento da extubação e volta à consciência.

A psicóloga Amanda Rodrigues Mendes de Oliveira, responsável por colher as informações para o prontuário, disse que um atendimento mais humanizado pode reduzir até mesmo o tempo de internação do paciente. Além disso, o trabalho ajuda a minimizar a ansiedade dos familiares.

 

Empresário Rogério Soares da Cunha, 48 anos, vence a Covid após 11 dias na UTI em hospital de Goiânia — Foto: Arquivo pessoal/Nicholas Vanvin

A diretora do hospital disse que, como não pode haver visitas, quando os pacientes estão acordados, os profissionais tentam manter o contato com as famílias por meio de áudios e vídeos pelo celular, respeitando todos os protocolos.

“A gente tem um retorno muito positivo. As famílias mandam vídeos para os pacientes. Filhos e netos, gravam e mandam. A psicóloga leva e passa para o paciente. É um conforto”, disse a diretora.

Essa foi a sensação do estudante Nicholas Vanvin Cunha, de 24 anos, que ficou com o pai, Rogério Soares da Cunha, de 48 anos, internado na UTI do hospital por 13 dias para tratamento da Covid-19, em agosto de 2020. Ele acompanhou a evolução do parente por meio da internet: “O acolhimento foi muito bom e importante para recuperação do meu pai”.

 

Goiânia - GO
Atualizado às 23h49 - Fonte: Climatempo
21°
Nuvens esparsas

Mín. 18° Máx. 30°

21° Sensação
7 km/h Vento
88% Umidade do ar
67% (8mm) Chance de chuva
Amanhã (19/04)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 18° Máx. 28°

Sol, pancadas de chuva e trovoadas.
Terça (20/04)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. ° Máx. °