Quarta, 28 de Julho de 2021 21:13
62 99863-8531
Cultura Goiás

Basileu França promove Narrativas Visuais– entre o imaginário e o real, o simbólico

A Coordenação de Artes Visuais da Escola do Futuro de Goiás em Artes Basileu França está com mais uma exposição vi...

08/07/2021 09h11
Por: Admin AQG Fonte: Secom Goiás
Foto: Reprodução/Secom Goiás
Foto: Reprodução/Secom Goiás

A Coordenação de Artes Visuais da Escola do Futuro de Goiás em Artes Basileu França está com mais uma exposição virtual, lançada na última semana, e que seguirá até agosto. A mostra “Narrativas Visuais – entre o imaginário e o real, o simbólico” pode ser visitada no perfil da Galeria de Arte Virtual Basileu França, no Instagram @galeriadeartebf.

A exposição apresenta produções autorais das formandas do Curso Técnico de Artes Visuais, cuja proposta é a formação de artistas visuais, capacitando-os para o desenvolvimento de projetos e produções artísticas, com utilização de diferentes abordagens e técnicas na área. A curadoria é da coordenadora de Artes Visuais do Basileu França, Gisele Jacinto, e da ilustradora e professora Polly Duarte. Já a montagem é do artista plástico Carlos Catini.   

“Narrativas Visuais – entre o imaginário e o real, o simbólico” é composta por um grupo heterogêneo de mulheres que, apesar de se interessarem por técnicas, suportes e temas distintos - ora norteados pelas realidades subjetivas, individual e/ou coletiva, ora pelo imaginário produzido nestes campos objetivos e subjetivos -, têm em comum o fato de lançarem-se no campo das representações, materializando em suas obras as questões que as movem, criando, portanto, narrativas visuais muito singulares. Outro ponto convergente é que assumem, dessa forma, uma direção de amadurecimento e de experiências fundamentais na afirmação de suas identidades visuais no campo das artes.

Nesse sentido, é possível conferir, na mostra, temas que abordam o universo feminino, a natureza, a melancolia e a literatura, por meio da pintura, colagem, gravura, fotografia e escultura, que encaminham as construções e pesquisas de cada artista.

A aluna Vanessa Souza, de nome artístico Van, confeccionou peças utilizando as técnicas de colagem analógica, carimbo, linha, entre outras. “As imagens foram todas retiradas de jornais, revistas e livros doados. Nenhum material foi impresso com o intuito de compor as peças”, revela.   

No total, a artista produziu 15 peças. Nove são da série “A História Recontada por Mulheres”, que retrata a ressignificação e a inclusão das mulheres em histórias reconhecidas por elas mesmas, mas que as exclui. E seis são da série “Mergulho”, produzida por meio do convite da professora Polly Duarte à Van, de olhar para si mesma. Nesta série a aluna retrata, em colagens, algumas transições, o TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade) e o caminho percorrido até o momento na jornada do autoconhecimento. 

Por sua vez, a psicóloga, psicanalista e fotógrafa, que também é aluna do Curso Técnico de Artes Visuais, Lucila Piva, selecionou cinco obras para a exposição. Todas remetem ao tema da melancolia, ao qual tem se dedicado por meio de pesquisas, desenvolvendo-os, em caráter experimental objetivamente, a partir da formação como fotógrafa e, mais sistematicamente, sobre outros suportes durante o curso.     

Dentre as peças expostas, estão um tríptico fotográfico, que inclui a Série “Rastros Visuais Melancólicos”, objeto de estudo do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) da artista no Basileu França. De acordo com Lucila Piva, o trabalho propõe o pensamento de estados e posições melancólicos, “advindos da condição humana e das demandas socioculturais, objetivas e subjetivamente constituídas, que tanto podem ser moduladas por situações pontuais, e nos fazer avançar, ou mesmo nos lançar a estados de extrema impotência e de desamparo, manifestados, por exemplo, em quadros depressivos leves, moderados ou gravíssimos. Aliás, vivemos uma época que irremediavelmente nos lança a estes estados – com muita sobrecarga sobre nossas angústias, dado tudo o que envolve um contexto pandêmico”, ressalta. As demais obras que compõem a exposição são quatro gravuras, sendo duas produzidas no Ateliê Livre de Gravura da Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás (FAV-UFG), com orientação do professor e artista visual José César Teatini de Souza Clímaco. 

As técnicas utilizadas por Lucila Piva foram a fotografia digital negativada, pensando alguns referentes, elementos e signos, desvinculando-os de suas funções e/ ou contextos usuais, ou de registros comumente instituídos pelo imaginário coletivo, além da inversão de cores, encaminhando a subjetividade do sujeito sobre as posições melancólicas e, partindo de registros fotográficos sobre uma chapa de metal (photoeching), duas gravuras, uma litografia a seco e uma gravura em metal, além de duas gravuras em borracha. 
    
Quanto à oportunidade de estudar arte no Basileu França, a artista avalia ser bastante positiva. “É de grande importância para mim por possibilitar o conhecimento e um primeiro contato sobre outras técnicas e suportes para pensar minha produção fotográfica sobre temas que me interessam tratar. Esses temas são derivados de questões da clínica psicanalítica que acho necessárias serem discutidas também por esse viés – o da arte, que, no limite, tem como papel principal o de expressar e refletir os pensamentos de uma época e, por isso mesmo, de amplo caráter transformador, pois para além de uma função meramente estética, ela nasce da livre expressão do artista sobre questões objetivas e subjetivas que o mobilizam – sobretudo na expressão contemporânea da arte, onde vemos artistas engajados com questões extremamente pertinentes e relevantes para a ressignificação de conceitos e posturas socioculturais, mudando realidades – internas e externas, objetivamente”, pontua.
    
Para Van, estudar Artes Visuais na Instituição é igualmente importante. “É a realização de um sonho, que me deu a oportunidade de conhecer, trabalhar e aperfeiçoar técnicas ao lado de ótimos profissionais que me ajudaram não só a constatar os tipos de arte com os quais me identifico, mas que também foram essenciais para definir meu estilo. Sempre fui tímida em relação às minhas criações. Essa é a minha primeira exposição e fazer isso junto à Escola foi uma forma de deixar de lado a vergonha, expondo minha visão sobre temas ligados ao feminino, à natureza e à união”, comenta.

Serviço:

Lançamento da Exposição Virtual “Narrativas Visuais – entre o imaginário e o real, o simbólico”

Data: junho a agosto de 2021

Local: @galeriadeartebf

Fonte: Secretaria de Estado de Desenvolvimento Sedi

Goiânia - GO
Atualizado às 21h07 - Fonte: Climatempo
23°
Alguma nebulosidade

Mín. 14° Máx. 30°

23° Sensação
22 km/h Vento
50% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (29/07)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 11° Máx. 24°

Sol com algumas nuvens
Sexta (30/07)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. Máx. 28°

Sol com algumas nuvens